YouTube: o que falar? Como falar? E quem deve falar nos vídeos?

Deixe seu comentário

YouTube: o que falar? Como falar? E quem deve falar nos vídeos? 2 Quando o assunto é gravar vídeos para o YouTube, é normal ficar perdido e não saber o que dizer, como dizer ou mesmo quem vai ser o porta-voz da empresa. No caso do inbound marketing, fica ainda mais confuso, por se tratar de uma estratégia de marketing diferente do padrão que todo mundo está familiarizado. A verdade é que esse “padrão”, o outbound marketing, está saindo de cena de forma orgânica, porque o nosso comportamento enquanto consumidor do marketing mudou. O maior exemplo de inbound marketing está no seu acesso diário ao Facebook todas as vezes que você é alimentado por informações, muitas vezes, de marcas que você consome sem nem perceber que aquilo é uma estratégia de marketing.

O que é inbound marketing? 

Inbound marketing é um conjunto de estratégias de marketing que atua de maneira não invasiva na rotina do seu cliente. Só para te ajudar a diferenciar: quando uma franquia de hambúrgueres publica um meme na sua página do Facebook e você curte aquela publicação como se fosse algo compartilhado por um amigo seu, isso é inbound. Quando uma franquia publica uma imagem com a foto e o preço de um lanche, isso é outbound marketing. Mas e os vídeos? Como eles se encaixam nessa estratégia de marketing? Para responder a essa pergunta precisamos responder na mesma ordem que uma estratégia é definida.

O que falar nos vídeos? 

Fale sobre o que a sua empresa faz, produto ou serviço! Forneça dicas, ideias e curiosidades para o produto/serviço que a sua marca vende. A ideia do vídeo é mostrar que o seu cliente precisa daquele produto/serviço por um motivo que ele nem pensava. Por exemplo: o espremedor de alho que toda avó tem em casa que, além de espremer alhos, quebra nozes, abre garrafas, limpa escamas de peixe e remove caroço de azeitona. Mas, se ninguém informar, quem é que vai saber disso além do fabricante e do fornecedor?

Como falar nos vídeos? 

O primeiro ponto é: o vídeo não pode soar institucional, ou seja, não é uma propaganda, a sua marca não será citada! O objetivo de um vídeo para o inbound marketing é de educar o público. Aí entra outro fator: a linguagem tem que ser didática e varia de acordo com a sua persona: É um público mais conservador? Acima dos 35~45 anos? Predominantemente masculino? A linguagem, nesse caso, é mais formal, semelhante à linguagem de um radialista ou repórter. É um público mais jovem? Então a linguagem tem que ser jovem como a de vários youtubers que esse público provavelmente acompanha. Público feminino? Então nada melhor que uma voz e imagem feminina que represente as mulheres que acompanham essa marca. Aí entra o próximo fator que é quem fala nos vídeos.

 Quem fala nos vídeos? 

Deve ser esquecido o conceito de “garoto-propaganda”! Até mesmo porque os vídeos não serão propagandas. Quem representará a marca é essencialmente a pessoa com a qual o cliente vai falar quando entrar em contato com a sua empresa, portanto, se você tem um vendedor extrovertido ou mesmo se a dona da empresa tem carisma, então é uma dessas duas pessoas que deve falar nos vídeos. O motivo é bem simples, quando o cliente entrar em contato para tirar uma simples dúvida, ele vai ter a sensação de que está falando com alguém muito importante, tipo um apresentador de um programa, porque ele viu aquela pessoa no YouTube. O fator quem fala está muito ligado com o fator como fala. Portanto, é importante criar uma estratégia muito bem planejada para os vídeos e, depois que a persona for definida, aí sim podemos definir quem é que vai falar nos vídeos e verificar se essa pessoa se encaixa no padrão de linguagem que atrai o seu público. Existe um caminho a ser traçado e SEGUIDO! Quando falamos em estratégia de marketing, não estamos brincando, é literalmente uma estratégia! Um plano de ação minuciosamente definido que inclui: Assunto que o vídeo irá abordar; Linguagem do interlocutor; Definição de videografismos (identidade visual, vinhetas e afins); Definição de quem será o interlocutor; Definição de data, horário e local da gravação; Definição de data de edição do vídeo; Definição de data de publicação do vídeo. Com todos esses pontos definidos é possível garantir a qualidade e eficácia dos vídeos para o seu público, mas, como podemos ver até aqui, é completamente ERRADO fazer vídeos sem estratégia, estrutura e organização. Quer fazer vídeos de qualidade para a sua empresa? Entre em contato! Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário, nós vamos responder mais rápido que a Millenium Falcon! Que a força esteja com você! Postado por: Cento e Vinte | www.centoevinte.com.br

*Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ARTIGOS RELACIONADOS

Inbound-marketing-glossário-120-marketing-digital-para-agência-de-marketing-digital-cento-e-vinte-marketing-digital-para-001

Inbound Marketing

Inbound Marketing: se a tradução fosse literal, seria algo como “marketing de entrada”. No entanto, são ações que têm a finalidade de atrair, de forma

Clickbait-glossário-120-marketing-digital-para-agencia-de-marketing-digital-cento-e-vinte-marketing-digital-para-001

Clickbait

O “caça-clique” é um termo “mais grosseiro”, utilizado para definir conteúdos destinados a angariação de receita de publicidade pela internet. Geralmente são de baixa qualidade

Whhitepapper-glossário-120-marketing-digital-para-agência-de-marketing-digital-cento-e-vinte-marketing-digital-para-002

White Paper

White paper ou Livro Branco, é um artigo rico de informações relevantes sobre os mais variados temas, onde os problemas e suas soluções são abordados

Bouncerate-glossário-120-marketing-digital-para-agência-de-marketing-digital-cento-e-vinte-marketing-digital-para-002

Bounce Rate

Bounce rate, em português, taxa de rejeição, é um termo bastante utilizado na área de marketing e refere-se à análise de tráfego na web. Isto