Fique tranquilo, seu email está completamente SEGURO conosco.

Google Ads não é para qualquer um!

Cento e Vinte 06/11/2018 Nenhum comentário Conversão
  • Compartilhe:


Ao longo dos anos a Google Ads (que já foi Google Adwords) se tornou uma das principais ferramentas do marketing digital.

Mesmo com a ascensão do marketing de conteúdo, os anúncios pagos também são ferramentas capazes de gerar excelentes resultados – seu produto, serviço ou marca pode chegar ao consumidor no momento exato que ele faz uma pesquisa no Google – quando ambas estratégias são trabalhadas em parceria.

Do contrário, sem os devidos cuidados, aquilo que poderia ser uma fonte de receitas pode se tornar uma fonte de grandes prejuízos.

O Google Ads, juntamente com o Facebook, foi responsável, em 2016, por 20% de todo investimento mundial em publicidade on-line, segundo Kantar Ibope Media.

E esse número tende a aumentar nos próximos anos. Somente nos Estados Unidos, como mostra um estudo da eMarketer, o valor destinado à publicidade on-line este ano foi de US$ 46 bilhões, o que representa 82,5% do total de anúncios em display digital. E, até 2020, deve chegar a 86,2%.

Leia também: Facebook Ads ou Google Adwords – o que a sua marca precisa?.

Como funciona o Google Ads?

Os anúncios do Google funcionam no sistema PPC, que significa pay per click, ou pagamento por clique, em português.

Nesse sistema o anunciante paga um determinado valor ao Google sempre que um usuário clicar no anúncio, encontrado na ferramenta de busca de acordo com palavras-chave estipuladas.

Ou seja, sempre que alguém pesquisar os termos ligados ao anúncio ele surge.

Mas, como a concorrência é grande, um dos critérios para decidir qual anúncio mostrar primeiro é o valor que se está disposto a pagar por clique.

Parece simples, não é mesmo? Porém existe uma série de variáveis que devem ser consideradas para atingir os resultados, importantes para entender como funciona o Google Ads.

Para aqueles que não possuem conhecimento na área é fácil cometer erros e fazer do investimento um grande prejuízo.

Separamos alguns dos mais comuns. Confira!

1. Trabalhar apenas com palavras-chave amplas

Existem cinco tipos de correspondência de palavra-chave que podem ser utilizados na ferramenta:
Correspondência ampla: corresponde às pesquisas com palavras em qualquer ordem, assim como seus sinônimos.
Correspondência ampla modificada: os anúncios são apresentados em consultas com a palavra exata, mas que pode estar em qualquer ordem. Para ativá-la é necessário colocar o sinal de “+” na frente da palavra ou termo.
Correspondência de frase: anúncios só aparecerão caso a frase seja exata. Para ativá-la é necessário colocar o termo ou frase entre aspas.
Correspondência exata: anúncios só aparecerão caso a palavra seja exata.  Para ativá-la, é necessário colocar o termo ou frase entre colchetes “[]”.
Palavra-chave negativa: seu anúncio não aparece em qualquer busca pelo temo específico, aparecerá para uma pesquisa mais selecionada e detalhada, que faça mais sentido, e não quando um termo indesejado é pesquisado. Para ativá-la, é necessário colocar o sinal de “-“ na frente da palavra ou termo.

A partir daí já é possível compreender que a ferramenta de anúncios pagos é mais complexa do que aparenta.

Um equívoco comum é utilizar apenas as palavras-chave de correspondência ampla, acreditando que o anúncio terá maiores chances de resultados positivos ao público.

Anunciar na internet, porém, não é sobre ser visto pelo maior número de pessoas, mas sobre ser visto pelas pessoas certas.

A tática de exagerar nas palavras-chave de correspondência ampla renderá cliques não qualificados, ou seja, daqueles que não são seu público-alvo.

Portanto, fará apenas você perder dinheiro!

É preciso fazer um mix dos tipos de palavras-chave de forma a conseguir obter melhores resultados.

Inclusive trabalhar com as palavras-chave negativas, de modo a refinar a segmentação de seu Ads.

Assim, é possível minimizar as vezes que seu anúncio aparece em uma busca com baixa intenção de compra e, consequentemente, aumenta a qualidade de seus anúncios e pode, até mesmo, diminuir consideravelmente os custos por clique.

2. Não dar valor aos números

No marketing digital as métricas são fundamentais e, no Google Ads, não é diferente.

É muito comum para aqueles que não estão familiarizados com a ferramenta manterem anúncios mesmo que não estejam dando retorno.

A verdade é que nem sempre você irá acertar. Algumas campanhas podem ser excelentes, outras, um terrível desastre.

O ideal é ter uma amostra grande de anúncios e, posteriormente, comparar e analisar quais obtiveram o melhor desempenho.

Você pode achar que seu anúncio é incrível, caso os números apontem o contrário, acredite neles e faça modificações necessárias para um melhor retorno.

3. Não ter noção de quanto vale cada clique em seu anúncio

Como dissemos, um dos fatores para o Google decidir quais anúncios veicular é o valor que o anunciante está disposto a pagar.

É como um leilão que ocorre a cada pesquisa de um termo.

Pode ser tentador elevar esses valores para aumentar sua presença, porém, isso não pode prejudicar seu custo por aquisição de cliente.

Se para ter um cliente você gasta R$ 10,00 e seu lucro sobre um produto é de R$ 12,00 e taxa de recompra é baixa, você está no prejuízo.

No momento de definir os valores que irá oferecer nas palavras-chave de um anuncio, ficar atento a essa questão é fundamental.

Como você pode ver, não é uma tarefa fácil ou simplesmente adicionar palavras e termos em seu anúncio.

É preciso ter domínio de como funciona o Google Ads bem como saber explorar as variáveis e possibilidades que a ferramenta fornece.

Além disso, requer um acompanhamento para verificar o sucesso da estratégia que muitas vezes o empresário não tem tempo ou mesmo se esquece.

Uma saída possível para se beneficiar da ferramenta é contar com o serviço de especialistas, que irão configurar suas campanhas de forma assertiva e vão acompanhar de perto seu desempenho.

Com a experiência de quem conhece e já teve bons resultados com o Google Ads e outras ferramentas de Adwords, seus resultados vão ainda mais longe.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog e tenha acesso a mais dicas e informações sobre marketing digital.

Que a força esteja com você!

Até a próxima!
Postado por: Cento e Vinte | www.centoevinte.com.br