Fique tranquilo, seu email está completamente SEGURO conosco.

História do marketing de conteúdo

Cento e Vinte 30/03/2016 Nenhum comentário Conversão
  • Compartilhe:

Não somos os primeiros e nem os últimos a trabalhar com marketing de conteúdo.

Está muito enganado quem achou isso.

Vamos compreender melhor como começou essa estratégia e os motivos que levaram as pessoas a se interessar pelo marketing que a Coca-Cola emprega desde 2011.

[bctt tweet=”Se a Coca-Cola usa o marketing de conteúdo, por que a sua empresa não deveria usar?” username=””]

blog-1

Primeiros arquivos da história do marketing de conteúdo

Veja abaixo a cronologia do marketing de conteúdo em 8 exemplos!

  1. The Furrow – bem antes de conhecermos esse termo “marketing de conteúdo”, em 1895, tivemos a primeira publicação voltada para os clientes. Seu nome? The Furrow.

A revista é hoje a de maior circulação do mundo na área de agronegócio e foi criada pelo americano John Deere, dono da marca de máquinas agrícolas que leva seu nome.

O foco do magazine são textos sobre tecnologia e dicas para ajudar o empreendedor a crescer e ser mais competitivo, e não vender produtos.

  1. Guia Michelinnuma época que os carros eram novidade, a Michelin teve a grande ideia de publicar, em 1900, um guia com dicas de hospedagens e restaurantes para incentivar as pessoas a viajarem e conhecer novos lugares.

 A 1ª edição teve uma tiragem de 400 exemplares, distribuídos gratuitamente.

  1. Livro de receita da Jell-O – em 1904, a marca de gelatina distribuiu gratuitamente um livro de receitas.

Essa ideia rendeu à empresa, dois anos depois, um aumento nas vendas, que ultrapassaram a marca de US$ 1 milhão.

  1. Revista BenchMarka empresa de engenharia Burns & McDonnell lançou seu periódico em 1913. A revista, que circula até os dias atuais, já recebeu diversos prêmios.
  1. Programa de rádio da Sears – a loja de departamentos Sears inaugurou sua estação de rádio em 1922.

A ideia do programa “A maior loja do mundo” era informar agricultores na época da crise da deflação nos Estados Unidos. O conteúdo era produzido pela Sears Roebuck Foundation.

  1. Radionovela – nos anos 1930, a Procter & Gamble teve um papel importante nos dramas radialísticos.

A empresa patrocinava esses formatos de programa e, a partir daí, o nome soap opera (soap = sabão) ou novela. Essa ação promoveu o aumento nas vendas de detergente.

  1. Hasbro e Marvel – nos anos 1980, as americanas Hasbro e Marvel se juntaram em uma grande ação para divulgar os quadrinhos do “GI Joe: A Real American Hero”.

A empresa de brinquedos veiculou uma propaganda na televisão, transmitida pelo país inteiro.

A consequência foi os gibis serem os mais vendidos da história da Marvel, já os brinquedos também tiveram altas vendas e muita aceitação entre as crianças da época. No Brasil, foi comercializado como “Comandos Em Ação”.

  1. Brick Kicks – em 1987, a LEGO lançou a revista Brick Kicks, hoje conhecida como LEGO Club Magazine. A empresa encontrou uma maneira de engajar o seu público por meio de conteúdo de entretenimento e benefícios.

Já nos anos 1990, com o “boom” da internet, o comportamento do público em relação ao consumo de informação sofreu grande impacto.

As pessoas já não passavam mais tanto tempo assistindo TV ou lendo jornais e revistas. Começavam a passar mais tempo online.

Então um jeito diferente de fazer marketing de conteúdo surgiu. Blogs e sites ganhavam destaque na estratégia das empresas, que viam o potencial dessa ferramenta para os negócios.

Em 1994, o mundo conheceu o primeiro spam, com a primeira mensagem automatizada em larga escala. Demos as boas-vindas ao e-mail marketing.

Anos 2000: Novo século, novo marketing de conteúdo 

Nesse período, os blogs dominam o cenário digital e roubam lugar dos portais de notícias, por seu conteúdo personalizado.

Até começarem a dividir espaço com as redes sociais. Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube, estão entre as mais importantes.

São ferramentas que mostram o poder do engajamento com os consumidores porque permite interação, proximidade e fidelização do cliente. O foco é produzir conteúdo de acordo com as necessidades do cliente.

Os e-books também ganham notoriedade e espaço. Com conteúdo rico, bem escrito e relevante para seu público-alvo, torna-se um diferencial para a empresa se destacar no mercado e atrair consumidores segmentados.

E o e-mail marketing não fica de fora dessa era. Com o crescimento das redes sociais, muitos achavam que essa ferramenta seria esquecida.

Pelo contrário. É de grande valia para uma estratégia de marketing de conteúdo eficiente. Ela colabora com o engajamento e relacionamento com a audiência. Mas sempre pensada em não fazer spams para o público.

Bônus: cases de marketing de conteúdo recentes 

  1. Coca-Cola – Content 2020 – em 2011, a Coca-Cola lançou uma propaganda bem longa para informar qual seria a sua estratégia de marketing até 2020. E a marca está cumprindo o prometido.

Se hoje você entrar na página do Facebook deles, você encontra uma série de posts que conta uma história que envolve o público.

Você pode ver o vídeo logo abaixo. Para ativar a legenda, é só clicar no ícone com os traços e, depois, na “engrenagem” ao lado para traduzi-la.

 

  1. Red Bull Stratos – em 2012, o paraquedista Felix Baumgartner, patrocinado pela Red Bull, saltou em queda livre da estratosfera. O cara bateu os recordes de salto mais alto, de maior distância vertical e da primeira pessoas a romper a barreira do som nesse tipo de feito.

Essa ação, transmitida ao vivo, rendeu 8 milhões de visualizações simultâneas no YouTube, 87 mil nos inscritos na plataforma e mais de 700 mil interações só na página oficial do Facebook. No Twitter foram mais de 3 milhões de tweets no dia.

Fora o aumento direto nas vendas da bebida nos 6 meses seguintes ao feito. Sem contar o auxílio a pesquisas científicas.

Marketing de conteúdo funciona. E deve estar entre os principais tópicos de uma estratégia de marketing. Por isso a importância de um conteúdo valioso e relevante que tenha o poder de atrair os consumidores da marca.

E aí, esses são motivos suficientes para você se convencer de que precisa de marketing de conteúdo diferenciado para se destacar da concorrência?

Gostou? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário!

Vou responder mais rápido que a Millenium Falcon!

Que a força esteja com você!

Postado por: Cento e Vinte  | www.centoevinte.com.br

0 Comentários




Deixe o seu comentário!